Adequação Ambiental e Paisagística

O Projeto Beira-Rio possui um plano de manejo da vegetação relacionada à sua área de intervenção dentro do perímetro urbano, com foco no trecho entre as pontes do Mirante e do Morato, na região central da cidade. Trata-se da “Proposta de adequação ambiental e paisagística do trecho urbano do rio Piracicaba e entorno”, produzida pelo Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal, do Departamento de Ciências Biológicas da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (LERF-ESALQ/USP) e ESALQ Florestal Júnior, em conjunção ao desenvolvimento do projeto de arquitetura da requalificação da Rua do Porto – primeira intervenção do Projeto Beira-Rio. Esta proposta, aprovada e licenciada pelo Departamento Estadual de Proteção dos Recursos Naturais (DEPRN), divide-se em três dimensões sucessivas:

• contextualização regional da vegetação no trecho urbano considerado, com diretrizes para a restauração da mata ciliar do córrego do Enxofre e para a formação de corredores, de ilhas de diversidade vegetal e de interligações para os remanescentes florestais da região;

• restauração florestal de um trecho da margem direita, no Engenho Central, que serve de fundo para a primeira intervenção do Projeto Beira-Rio – requalificação da Rua do Porto, na margem esquerda;

• restauração florestal e o paisagismo da área da requalificação da Rua do Porto.

Para esta última dimensão, a equipe da ESALQ/USP produziu um censo das espécies vegetais existentes em toda a Rua do Porto; com o censo foi produzido um diagnóstico para o quadro levantado, a partir do qual foram elaboradas as ações necessárias para o projeto de adequação paisagística. Estas ações foram, então, conjugadas às diretrizes arquitetônicas e paisagísticas para a requalificação da Rua do Porto, elaborada pelo Projeto Beira-Rio.